MAUS TRATOS contra Animais – A Autoridade Pública é OBRIGADA a tomar providências, sob pena de RESPONSABILIDADE:

OBS: Em 14.12.2007, às 19:00 horas aproximadamente, às margens da BR 232 – KM 103, aconteceu um VERGONHOSO fato na Cidade onde resido (Bezerros/PE) – O Delegacia de Polícia da Cidade (cujo Delegado Titular é o Sr. Guaracy) recebeu uma denúncia sobre BRIGA DE GALOS e, ao chegarem no local (constatado inclusive uma grande quantidade de galos de briga, rinhas, muitas gaiolas e demais equipamentos e muita gente “ENDINHEIRADA”: militares, delegados de polícia, prefeitos de outras cidades e vários populares, etc.) as Polícias Civil e Militar (GATI), por “ordem” do Delegado, resolveram não prender ninguém em FLAGRANTE, no entanto, o Ministério Público ao saber da VERGONHOSA ATUAÇÃO DAS POLÍCIAS, determinou a abertura de INQUÉRITO para apurar as RESPONSABILIDADES dos referidos agentes públicos ALTAMENTE DESPREPARADOS para desempenharem as funções que exercem e, com certeza, SERÃO PUNIDOS PELA OMISSÃO-NEGLIGÊNCIA, inclusive perante suas CORREGEDORIAS DE POLÍCIA.

A VERGONHA ACONTECEU, MAS OS RESPONSÁVEIS SERÃO SEVERAMENTE PUNIDOS NA FORMA DA LEI – PODEM TER CERTEZA !!!

 

policia.jpg

Segundo dispõe o Decreto nº 24.645/34, a PROTEÇÃO dos animais É DEVER DO ESTADO, portanto, ao DENUNCIAR (no sentido de “comunicar”, ainda que informalmente, à Autoridade Competente ou a alguma entidade de proteção dos animais) alguém que está “MAL-TRATANDO” algum INDEFEZO animalzinho, a responsabilidade e obrigação de investigar e PUNIR é do Estado (Poder Público), representado pelos seus agentes:

  • POLÍCIA CIVIL

  • POLÍCIA MILITAR

  • POLÍCIA FEDERAL

  • POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL

  • POLÍCIA FERROVIÁRIA FEDERAL

  • CORPO DE BOMBEIROS

  • MINISTÉRIO PÚBLICO

  • PODER JUDICIÁRIO, etc.

 galos.jpg

Ao tomar conhecimento da prática de maus tratos (Art. 32 e parágrafos, da Lei Federal nº 9.605, de 12.02.1998), o Delegado de Polícia (no caso das demais Autoridades Públicas, deverão encaminhar o caso ao Delegado, devendo prender EM FLAGRANTE DELITO o ofensor), por exemplo, formalizará um T. C. O. (Termo circunstanciado de Ocorrência), que é uma espécie de Inquérito Policial simplificado (Lei nº 9.099/95) e o enviará à Justiça, que designará uma AUDIÊNCIA, onde o Ministério Público PROPORÁ uma PENA NÃO PRIVATIVA DE LIBERDADE (prestação de serviços à sociedade/comunidade e/ou uma MULTA), além de cessar com os maus tratos (perda da posse/propriedade do animal, etc.), justamente por se tratar de CRIME de pequeno potencial ofensivo e caso o criminoso concorde (no caso dos maus tratos É OBRIGATÓRIO ao mesmo cessá-lo, podendo as autoridades competentes resgatar o animal e colocá-lo em abrigo provisório ou permanente, a fim de evitar mais sofrimentos para mesmo), o processo será encerrado, no entanto, o mesmo não gozará do mesmo benefício durante um prazo de 05 ANOS e caso venha a cometer qualquer outro delito cuja pena mínima seja igual ou inferior a 02 anos de detenção, RESPONDERÁ O PROCESSO NORMALMENTE e será punido ao final e TERÁ SEUS ANTECEDENTES CRIMINAIS REGISTRADOS no órgão competente, o que o tornará reincidente para efeitos penais, no futuro, o que pode ser muito ruim para o infrator.

Toda e qualquer Altoridade não é nada mais do que UM SIMPLES SERVIDOR PÚBLICO, cujo salário lhe é pago dos nossos bolsos, através dos impostos que pagamos, etc., por isso, competem aos mesmos OBEDECEREM A LEI, piamente, não podendo qualquer Autoridade deixar de cumprir ato de seu ofício INJUSTIFICADAMENTE, sob pena de responder por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA (Art. 11, inciso II, da Lei Federal nº 8.429, de 02.06.1992) e/ou CRIME DE PREVARICAÇÃO (Art. 319, do Código Penal), etc., portanto, recebendo um denúncia sobre maus tratos contra animais, por exemplo, e infundadamente, não proceder às medidas legais cabíveis, o Delegado (p. ex., ou o Juiz, ou o Promotor de Justiça ou quem quer que seja) estará violando a lei e SERÁ SEVERAMENTE PUNIDO, quando o caso chegar ao conhecimento de seus superiores hierárquicos, bastando DENUNCIÁ-LO a quem de Direito.

É importante que se diga que QUALQUER PESSOA PODE EFETUAR UMA PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO, conforme autoriza o Art. 301, do Código de Processo Penal brasileiro (“Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito”), portanto, ao presenciar o cometimento de QUALQUER TIPO DE CRIME, nós, mero cidadãos, PODEMOS PRENDER o infrator (prisão de cidadão) e encaminhar o delinquente ao Delegado de Polícia, que tomará as providências de praxe.

algemado.jpg

É sempre importante registrar o ato ilícito praticado, por fotos, filmagens e, principalmente, por TESTEMUNHAS (02 no mínimo), com nome completo e endereço, a fim de que se produza s elementos mínimos para a constatação do fato delituoso e que possa o responsável ser PENALIZADO na forma da lei.

Os crimes mais comuns contra animais são:

  • Maus tratos residenciais

    (espancamentos, isolamento, fome, má higiene, abandono, excesso de exercícios físicos, etc;);

  • brigas de galo, cachorro e pássaros (rinhas, etc.);

  • fornecer bebidas alcoólicas para animais;

  • experimentos científicos;

  • carregamento de peso excessivo e continuamente;

  • outros.

 matando-cachorro.jpg

Nós, da A. P. A. AMIGOS PARA SEMPRE estamos dispostos a atuar efetivamente no combate aos maus tratos contra animais. E você ???

 

NÃO DEIXE MAIS ESSA VERGONHA ACONTECER ! 

 

Bel. Aldo Corrêa de Lima

Advogado – OAB/PE nº 17.988

aldoadv@gmail.com

https://aldoadv.wordpress.com

81.9622.0778

Publicado em Diversos. 92 Comments »

Estatuto do desarmamento pode está correndo risco

 

 A votação da medida provisória 394, que prorroga para 2 de julho de 2008 o prazo de recadastramento de armas e reduz o valor das taxas de registro, vai provocar nova polêmica. O relator da MP, Pompeu de Mattos (PDT-RS), propôs várias mudanças no Estatuto do Desarmamento, como desobrigar os que hoje têm armas de cano longo de fazer os testes psicológico e de aptidão exigidos atualmente na lei.
O relator também quer permitir a entrega voluntária de armas à polícia em qualquer tempo, sem fixação de prazo. O texto de Pompeu ainda autoriza o porte de arma por guardas municipais em cidades com menos de 50 mil habitantes fora do horário de serviço.
Pompeu chegou a ler o relatório ontem, mas controvérsias e dúvidas sobre o texto adiaram a votação para hoje. Embora ele afirme que seu novo provisório foi negociado com todos os líderes partidários, com o Ministério da Justiça e a Polícia Federal, o líder do governo, José Múcio (PTB-PE), diz que não há acordo.

Fonte: O Globo.

OBS: O certo é que a violência ainda não diminuiu consideravelmente porque a União, os Estados, o DF e os Municípios AINDA NÃO INVESTIRAM EM SEGURANÇA PÚBLICA.

A questão do DESARMAMENTO é apenas UMA das medidas a serem tomadas em sede de POLÍTICAS PÚBLICAS na segurança.

Os políticos em que vcs votaram vem atuando nesta seara ???

Publicado em Diversos. 4 Comments »
%d blogueiros gostam disto: