Sou Católico, mas não sou HIPÓCRITA. “SIM” à Camisinha e à PÍLULA DO DIA SEGUINTE. Melhor do que “conceber” e “ABANDONAR” !!!

 O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, criticou ontem a postura da Arquidiocese do Recife, que ameaça entrar na Justiça para proibir a distribuição de anticoncepcionais de emergência, conhecidos como pílulas do dia seguinte, pela prefeitura da capital pernambucana. ‘A prefeitura está certa e a Igreja está equivocada’, afirmou o ministro, em entrevista após o lançamento da campanha de prevenção à Aids, que vai distribuir quase 20 milhões de preservativos durante o carnaval.‘É uma questão de saúde pública, não uma questão religiosa. Lamentavelmente a Igreja, cada vez mais, se afasta dos jovens com esse tipo de postura’, comentou Temporão. Segundo o projeto da prefeitura de Recife, as pílulas serão entregues a mulheres que declararem, a médicos de plantão, que tiveram relações sexuais e que suspeitam de falhas nos métodos contraceptivos normais. A Arquidiocese do Recife classificou a proposta como ‘aberração’. ‘O Ministério da Saúde apóia e suporta a medida’, reforçou o ministro.

Escrito por Magno Martins.

Dom José rebate crítica do ministro e vai à Justiça
 A Arquidiocese de Olinda e Recife, por meio da Pastoral da Saúde, oficializou nesta segunda-feira (28), uma ação junto ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para evitar a distribuição, durante os festejos de carnaval, da “pílula do dia seguinte” nas cidades do Recife, Olinda e Paulista.
Na coletiva, o arcebispo Dom José Cardoso Sobrinho também criticou o ministro da saúde, José Gomes Temporão, que em entrevista ao Fantástico, no último domingo (27), afirmou que essa distribuição é uma questão de saúde e não religiosa.
“Eu digo exatamente o contrário (se referindo ao que o ministro falou). Todos nós, papa, bispos e sacerdotes temos a obrigação de pregar o evangelho. Nossa missão é evitar qualquer ação que ponha em perigo a vida humana desde a sua concepção”, afirmou categoricamente, avisando que isso “será uma pregação permanente”.
NOTA
Em nota, o Ministério da Saúde divulgou que o processo de distribuição da pílula do dia seguinte no Recife será de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Segundo a nota, o medicamento estará disponível na rede pública de saúde e será dado por  prescrição médica, com informações e aconselhamento sobre o uso e efeitos colaterais e não haverá campanha de massa para o uso da pílula.(Informações do portal pe360graus)

Escrito por Magno Martins.

O bispo e a pílula

Editorial – O Estado de S.Paulo

 É INAPROPRIADA a decisão do arcebispo de Recife e Olinda, dom José Cardoso Sobrinho, de entrar com representação no Ministério Público com o objetivo de obter, através da Justiça, um veto estadual à contracepção de emergência -isto é, à distribuição da chamada pílula do dia seguinte, que o Vaticano considera abortiva. Não compete à Igreja Católica determinar políticas de saúde pública.

É claro que o prelado tem o direito de acionar o Ministério Público e o Judiciário quando bem entender e por qualquer motivo que lhe pareça bom. Reconhecer essa prerrogativa básica da cidadania, no entanto, não basta para tornar o pleito de dom José justo ou razoável.
Sacerdotes estão, por razões de economia interna da igreja, obrigados a colocar-se contra o aborto e a maioria dos métodos contraceptivos. Devem tornar públicas suas posições e guiar seus fiéis. A aceitação dessas orientações pelo cidadão é uma questão de foro privado -as pesquisas e o senso comum indicam que a grande maioria das pessoas que se declaram católicas as ignora.

O arcebispo, entretanto, extrapola as fronteiras da moral privada quando pretende impor a conduta católica a todos os pernambucanos, partilhem eles ou não dos dogmas da igreja. A sociedade já definiu, pelos canais competentes e com o auxílio da ciência, que o emprego da pílula do dia seguinte não configura aborto.

As autoridades sanitárias têm a obrigação de tentar reduzir os índices de contaminação por doenças sexualmente transmissíveis e de gravidezes indesejadas. Devem para tanto, usar de todos os recursos legais à disposição, aí incluída a pílula.

Faria melhor a arquidiocese de Olinda se observasse uma valiosa lição do Evangelho: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”.

Escrito por Magno Martins.

MP encerra polêmica da pílula rejeitando recurso
 A promotora de Saúde do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Ivana Botelho, decidiu esta tarde não acatar o pedido da Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Olinda e Recife que pedia ao órgão providências judiciais contra a disponibilização da contracepção de emergência em unidades públicas de saúde. A solicitação foi feita sob a alegação de que a pílula seria abortiva e, por isso, feriria os preceitos legais brasileiros que proíbem a interrupção da gravidez, exceto em situações previstas em lei.Ivana afirmou que não vai “seguir com a celeuma iniciada pela Igreja” porque, depois de solicitar ajuda da comissão de médicos do MPPE, a equipe lhe remeteu parecer informando que a pílula do dia seguinte não é um método abortivo e sim contraceptivo. Diante da informação, ela considerou a questão encerrada.(Informações do portal pernambuco.com)

Escrito por Magno Martins.

Publicado em Diversos. 1 Comment »

Uma resposta to “Sou Católico, mas não sou HIPÓCRITA. “SIM” à Camisinha e à PÍLULA DO DIA SEGUINTE. Melhor do que “conceber” e “ABANDONAR” !!!”

  1. Luiz Says:

    Você não é católico; é somente um ignorante que não sabe o que é ser católico.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: